Experiência do cliente é material valioso para o marketing digital

Por Roberto Marcio

Recentemente, uma Live com dois competentes gestores deram o tom para um assunto de fundamental importância para que trabalha diretamente com o marketing digital: afinal, qual a experiência que o cliente poderá ter e até melhorar nesse período de pandemia, em que são verificáveis mudança no comportamento da sociedade? 

Para responder a essa indagação que Ricardo Dias, VP de Marketing da Ambev, e Vala Afshar, Chief Digital da Salesforce, abordaram a respeito de se promover escolhas que influenciam a experiência do consumidor, em evento do Fórum E-Commerce Brasil 2020 – Global Edition

A importância para o marketing digital está no fato de que esse cliente, obviamente impactado físico e emocionalmente com a pandemia do coronavírus, tende a estar mais sensível para determinados aspectos da sua vida. 

Sendo assim, a experiência que ter com o produto ditará um bom exemplo de que milhões que resolveram comprar mais pelo mundo virtual do que o físico, gerando ou não lucros para as empresas. 

A psicologia do comportamento, neste caso, nunca esteve tão em alta e a corrida para descobrir de que forma é possível aproximar as partes para um resultado positivo dessa relação está em voga. 

No Fórum, Afshar reconheceu o crescimento do e-commerce nos últimos anos, mas se acentuou desde o início do período de quarentena, quando o comércio físico foi reduzido a mais da metade de seu funcionamento.  

“As pesquisas mostram que, no Brasil, 20% das pessoas que fizeram as primeiras compras online vão voltar a comprar depois da pandemia”, diz ele. 

Para o Digital Salesforce, o cliente se fundamenta em três pilares para realizar uma operação (segurança, acessibilidade e relevância) , à qual se chamou isso de “viver”, que trocando em miúdos é uma experiência que agrada a muitos sentidos ao fazer uma compra. 

Ricardo Dias se aprofundou ainda mais no tema e dá toda a ênfase ao consumidor. “ As empresas gastam milhões de dólares em mídias sociais, mas deveriam se preocupar com a atenção que dão aos consumidores. Se não tiver estratégia, vai ficar para trás”, complementa Dias, acrescentando que “a experiência do cliente é tudo. Esse é o momento ideal para que as marcas se mostrem relevantes para as pessoas. É preciso analisar os dados e usá-los com criatividade”.

A retomada da economia está sendo lenta, gradual e relativamente segura. E um dos mais prejudicados pelos efeitos da pandemia sabe bem disso: o comércio. O setor reabriu na maioria das capitais brasileiras, mas algumas mudanças de comportamento provocadas pela pandemia da Convid-19 vieram para ficar. 

Dentre elas está o crescimento do uso de tecnologia para o consumo, para além do comércio eletrônico, que buscou soluções para atingir os públicos-alvo e garantir a satisfação do consumidor.

É claro que o marketing digital não está alheio a isso tudo. Até porque, vale ressaltar, dispõe de ferramentas eficientes para identificar essa tendência do consumidor. 

Porém, é no que fará com esses dados e transformá-los em estratégia de vendas, por exemplo, determinará o sucesso da operação. 

O uso da Inteligência Artificial é um passo significativo rumo a junção rápida e detalhada dos dados que circulam nas redes, mas a sua depuração é algo que requer maior profundidade. 

Uma equipe bem treinada, atenta a tudo que se refere esse universo pode dar a curadoria tão necessária para auxiliar os empresários a ganharem muito dinheiro com a migração do público consumidor para o on line. 

As transações feitas pela internet dispararam 40% entre março e abril de 2020, segundo dados fornecidos pela Associação Brasileira de Comércio Eletrônico. Por isso, a busca por novos ou reter os atuais clientes tornou-se um desafio de concorrência mais árduo e que pode ser vencido com o uso da psicologia e as ferramentas do marketing digital. 

O número de pesquisas disponíveis sobre o comportamento do consumidor é enorme. É preciso, portanto, olhar o impacto do “Novo Normal” em cada pessoa e o que isto pode significar para os negócios em andamento. Se abre uma janela de oportunidade que a tecnologia pode contribuir em muito para a melhora no ambiente econômico, uma transformação acelerada por causa da pandemia.

O chamado Varejo 4.0., é um setor em plena adaptação: ali se une vários fluxos de trabalho que podem ser adaptados e dimensionados com as mudanças do ambiente físico para o digital, agilizando todos os processos. Usar a tecnologia de forma relevante e assertiva é a saída, portanto, não fique parado: tenha em mãos um plano bem definido para assegurar bons negócios  e boa sorte.