Com edital aprovado, 5G será uma nova realidade para as empresas

Por Roberto Marcio

Em meio ao turbilhão de informações sobre a Covid-19 e seus efeitos na economia, uma notícia importante passou quase despercebida pelo público, ao final de fevereiro. Perto do fim do mês, depois de muitas controvérsias, a Anatel finalmente, com a assistência de seus dirigentes, deliberou e aprovou o edital de licitação das faixas de radiofrequências destinadas para o 5G. Agora, a análise do documento está nas mãos do Tribunal de Contas da União (TCU). Embora não seja obrigado, o governo tem por hábito aguardar o aval do orgão de contas para então marcar o leilão. O tema deveria ganhar maior relevância, pois impacta diretamente nos negócios no mundo online.

Com o poder de potencializar e alavancar soluções para cidades inteligentes, automação dos ecossistemas industriais digitais e demais setores da sociedade, a internet 5G teve um amplo debate que até envolveu a política brasileira no exterior, quando foi criticada a participação chinesa neste processo verde e amarelo. Mas isso não vem ao caso agora. O fundamental é que essa tecnologia já transforma a vida das pessoas e significa uma mudança radical, nunca vista antes, em conceitos de negócios e hábitos de vida. 

As obrigações descritas no texto do edital do leilão que ainda vai ser avaliado pelo TCU, de acordo com cálculos preliminares da agência, serão na ordem de R$ 23 bilhões para as radiofrequências de 700 MHz, 2,3 GHz, 3,5 GHz e 26 GHz, um volume considerável de transação que só pode ser comparada com a indústria do petróleo, a maior do mundo atualmente. Assim, foi estimado um valor de R$2,5 bilhões para essa migração, o qual será desembolsado pelas empresas que adquirirem o espectro de radiofrequência de 3,5 GHz. Com tanto dinheiro, competição de mercado e disputas no exterior, esse leilão ganhou uma importância central que vai influenciar a economia do país nos próximos anos.

Uma mudança nunca vista antes que mudará nossos conceitos de negócios e vida

Coincidência ou não, a tecnologia 5G chegou em um momento em que a sociedade percebeu que é indispensável uma internet com alta velocidade e de excelente desempenho. Seja para o ensino a distância, home-office, entretenimento com jogos e streaming de filmes, ou até mesmo para o conforto, por meio da automação residencial, tipo de conexão em plena expansão. Portanto, o 5G veio para promover a interação de tudo e de todos. Suas possibilidades são muitas. 

Em um cenário em que as empresas utilizam ferramentas tecnológicas para incrementar seus negócios, executivos poderão ter acesso aos dados, em dashboards, abastecidos em tempo real, com uma internet ultra rápida. A partir disso, é possível elaborar um plano de inteligência para descobrir onde posicionar melhor o seu produto, incrementar campanhas publicitárias e elaborar uma estratégia para a sua marca alcançar um público significativo da rede. O monitoramento, inclusive de seus concorrentes, se mostra eficaz. Por isso, ter uma internet com velocidade adequada para executar todo esse trabalho é imperativo para ser bem sucedido nos negócios. 

Convém salientar que tudo isso está dentro do arcabouço da tecnologia industrial, uma das áreas que mais enfrentou mudanças com os impactos da pandemia do coronavírus. Segundo uma pesquisa realizada pela Deloitte, robótica, inteligência artificial, big data, computação em nuvem, blockchain, tecnologia de quinta geração (5G) e Internet das Coisas Médicas (IoMT) foram alguns dos segmentos que ganharam destaque durante o período. Por outro lado, tudo isso requer um aumento de investimentos no segmento, principalmente na internet 5G. 

Com a concretização do leilão, teremos mais um motor a impulsionar a economia brasileira. 

Saiba mais: https://economia.estadao.com.br/noticias/geral,anatel-aprova-edital-do-leilao-do-5g-tcu-ainda-fara-analise-do-documento,70003628498 https://revistapegn.globo.com/Tecnologia/noticia/2021/02/tecnologia-5g-estara-disponivel-em-todas-capitais-ate-julho-de-2022.html 

%d blogueiros gostam disto: