O “novo” mundo dependerá ainda mais da tecnologia

Por Roberto Marcio

O mundo não será mais o mesmo após a pandemia do coronavírus. E suas implicações no universo digital já começam a ser visíveis através dos números que surgem tanto na adaptação dos empregados como também na maneira como conduzem a gestão nesses tempos de confinamento social. 

A transformação progressiva traz também o avanço de tecnologias disruptivas, o aperfeiçoamento das operações das empresas com o apoio da tomada de decisões baseadas em dados, ferramentas inteligentes e estratégias capazes de confirmar a nova tendência.

Conceitos como machine Learning e Big Data, por exemplo, são vocabulários cada vez mais presentes nas empresas. 

Dessa forma, a obrigatoriedade imposta pelos governos estaduais e municipais sobre o isolamento social obrigou a muitos colaboradores ficarem em casa, o que trouxe à luz uma questão central: a saída é intensificar a digitalização, a aplicação do home office e a utilização de recursos tecnológicos não apenas para manter o trabalho no rumo certo, mas a sua própria sobrevivência que estava em jogo.

Por ser uma doença nova, ainda aprendemos a lidar com ela. E organizações lutam para atender as necessidades gerais da sociedade, a chegada do Covid-19 trouxe consigo uma nova onda de inovação comercial. 

Ou seja, novos hábitos e comportamentos estão se formando e provavelmente permanecerão após a crise – e isso apresenta oportunidades de reposicionamento para as empresas. 

A modernização não significa a compra de novos equipamentos, mas o uso inteligente do marketing digital para alcançar o maior público possível, consequentemente ampliar as suas vendas.

Sendo assim, a comunicação com o cliente impulsiona a tomada de decisões com o apoio de máquinas inteligentes, sistemas integrados de gestão e ferramentas que são verdadeiras parceiras de um “novo” mundo que se apresenta diante de nós. 

Cada vez mais, por exemplo, a inteligência artificial assumirá um posto dentro do conceito moderno de administrar e superar o momento delicado que o planeta atravessa. Isso traz a reflexão sobre a urgência de se ter uma estratégia eficiente nas empresas.

No mundo pós-Covid-19, as companhias deverão levar a sério os seus investimentos em TI e suas ramificações, como Cloud e IoT.