Como será a disseminação da informação em nuvem no Pós pandemia?

Por Marcio Roberto


O futuro da informação passa por um contínuo processo de reconstrução. A pandemia do coronavírus, sem dúvida, trouxe mais velocidade às mudanças que se avizinhava e dentro de um contexto preditivo, é possível calcular o caminho do conhecimento para o mundo após a crise sanitária e de saúde que custa milhares de vidas diárias. A disseminação da informação na nuvem é um ponto que merece uma análise sobre as consequências vitais na vida das empresas nos próximos anos.

Antes da pandemia, muitas empresas já começavam a cuidar de um projeto chamado home office. Ele existe, na realidade, no mercado de trabalho faz tempo e trabalhar no conforto de sua casa era adotado por profissionais, sobretudo, da área da comunicação. No entanto, o programa de tirar o funcionário e colocá-lo em casa vinha sendo posto em prática em várias partes do mundo e, com a pandemia, provocou uma antecipação aos planos. Daí a nuvem entra em cena como um ator primordial nesse processo, já que as empresas precisam ter a segurança sobre como guarda suas informações. A expansão desse mercado, de março a junho, aumentou substancialmente, assim como a necessidade de profissionais especializados no setor. 

A nuvem, por outro lado, não é apenas uma solução para quem quer guardar seus dados. Ela se transformou em uma prioridade em muitas empresas, até porque associada a outras ferramentas, podem ir muito além de um cofre virtual. Pensará também, trará vantagens competitivas, vai “ler” dados e oferecer outros serviços que, associados a Inteligência Artificial, produzem informações importantes e até contribui para a análise preditiva nesses tempos difíceis da economia. Ter informação é poder, principalmente se ela vem depurada para se ter clareza na elaboração de uma estratégia eficiente de trabalho. Como isso tudo se dará num mundo pós-pandemia? É isso que tentaremos destrinchar. 

Integração de dados com nuvem pública impõe desafios

Equipes precisaram incluir na rotina de trabalho ferramentas remotas, as quais visam manter ativas as atividades de um negócio durante esta crise. Não tem outra saída. Para se adaptar ao já apelidado “Novo Normal”, Transferindo toda sua estrutura para a nuvem. Necessidades como, a segurança da informação, o compartilhamento de dados, o aumento da produtividade em ambientes de TI, dentre outras, ficaram cada vez mais evidentes. Sendo assim, milhares de bytes circulando nas nuvens, fica claro que cada um fará o seu uso. Na parte empresarial, voltamos a colocar o tema no centro do debate. É preciso extrair o máximo dos benefícios das clouds para fazer seu negócio crescer. 

Aqui vale citar a nuvem pública e integração da base de dados como uma forma de entender os benefícios da tecnologia da informação para esses tempos de pandemia.  Antes de tudo, como benefícios da nuvem pública, podemos destacar o relativamente baixo custo de investimento e o menor tempo de implementação, visto que as soluções são pré formatadas e amplamente testadas. Apesar disso, há quem veja isso como um desafio a ser superado. O surgimento de novas tecnologias no mercado acabou sendo acelerado com a pandemia e muitas vezes se impõe um desafio a desenvolvedores e times que trabalham na TI. É preciso muito preparo para realizar a tão desejada integração de dados com a nuvem pública.

“Grande parte dos custos e do esforço de qualquer projeto de TI está relacionada com integração. Na computação em nuvem não é diferente. E a integração em nuvem pode ser ainda mais desafiadora, já que requer APIs web muitas vezes desconhecidas pela equipe técnica” diz Seth Robinson, diretor sênior de análise de tecnologia da CompTIA. Além disso, às vezes, as organizações precisam alternar entre nuvens públicas e nuvens híbridas (com alguns dados na nuvem pública e alguns sistemas residentes on-premise). Cada migração traz uma onda adicional de desafios de integração.

Um ambiente flexível, escalável e personalizado à sua demanda cvão ditar o ritmo para o uso do cloud no pós-pandemia. Se hoje tem feito a diferença, em um momento que boa parte dos brasileiros seguem em confinamento social e que precisa dessa e outras tecnologias para trabalhar, por outro garante um futuro promissor para o amanhã. Saber extrair o que há de melhor na utilização da nuvem é que vai ser determinante como um auxiliar direto na gestão das empresas, como também dar um norte para seus negócios será fundamental.