Público “inteligente” dominou as vendas na Black Friday?

Por Roberto Marcio

As vendas na Black Friday foram mais digitais do que nunca este ano. As empresas, sabendo disso, apostaram no cruzamento com Smart Pricing, inteligência competitiva, analytics, Inteligência Artificial, marketing de guerrilha, e maturidade analítica para monitorar preços dos produtos e ofertá-los na famosa promoção para atrair público e conseguir um bom lucro nas transações, principalmente no mundo virtual. Mas por que essa confiança das instituições no investimento em tantas plataformas? A resposta é: o público também está ficando mais inteligente digitalmente.

Como o e-commerce registrou a maior alta da história, fechando o primeiro semestre de 2020 com crescimento de 47%, segundo a nova edição do Webshoppers, estudo sobre e-commerce do país elaborado semestralmente pela Ebit/Nielsen, o mundo digital passou a dominar vários segmentos da economia. E, para quem pensa que as vendas no e-commerce são aplicáveis exclusivamente ao mercado B2C, está deixando de atuar no canal que mais gera potenciais clientes, sobretudo na Black Friday, marcada para 27 de novembro. Com ferramentas para auxiliar as vendas cada vez mais inteligentes, as empresas se preparam para incrementar seus negócios com a utilização de diversas plataformas.




Para aplicar a melhor precificação de seus produtos, ferramentas como Smart Pricing, inteligência competitiva, analytics, Inteligência Artificial, marketing de guerrilha, e maturidade analítica trazem até você um material capaz de transformar esse período de promoção em um sucesso de vendas. Por isso, centenas de empresas encomendaram pesquisas para saber sobre o perfil do consumidor, em plena crise sanitária, que faria compras na Black Friday. Cruzando os resultados, chegou-se a uma conclusão: que o consumidor está mais “inteligente”, do ponto de vista digital, o que obrigou e irá obrigar o uso de estratégias diferentes para a conquista de mercado. 

De olho nas pesquisas de mercado, a adoção de boas estratégias se faz necessária

A crise provocada pela Covid-19 transformou o mundo. Ela gerou um problema sanitário que teve repercussão financeira em milhões de famílias, provocando uma queda no rendimento dos brasileiros. Todavia, aos poucos, apesar da pandemia ainda assombrar, os negócios retomam suas atividades. Mas uma das datas mais importantes do ano para o comércio, a Black Friday, pode ser uma excelente oportunidade para que as empresas reconquistem seus consumidores. 

Principalmente aquelas empresas que investem no mercado eletrônico. Isso porque, de acordo com a pesquisa Black Friday 2020, elaborada pela área de Inteligência de Mercado da Globo, 42% dos entrevistados têm planos de fazer compras neste ano. Outra pesquisa revela o otimismo predominante: de acordo com a Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo, mesmo nestas circunstâncias, os especialistas têm expectativa de que esta edição seja de grande sucesso com 72% dos consumidores comprando e movimentando a área. Como o marketing digital passou a ser o braço direito na elaboração das vendas online das empresas, o cruzamento de diversas plataformas é a saída para que seja adotado um planejamento assertivo para as vendas.

Como as ferramentas podem ajudar nas vendas durante e após a Black Friday?

O uso de um mix de ferramentas podem sugerir mudanças em uma campanha publicitária. O cruzamento de dados pode ajudar, por exemplo, no design e cores do site especialmente para datas comemorativas. É importante que seu consumidor veja que seu estabelecimento está preparado e também, que possa atrair a atenção de usuários indecisos. 

Que esteja presente no maior número possível de redes sociais, como Facebook, Instagram e WhatsApp. E se planeje ficar disponível por um tempo maior para sanar dúvidas dos consumidores. Estar  presente no maior número de marketplaces possíveis, são ótimas vitrines para seu produto, pois já possuem imagem consolidada com seu público-alvo, como é o caso de Amazon, Mercado Livre, Submarino e Americanas, por exemplo.

O mix citado para que sua empresa possa garantir boas vendas é o Smart Pricing, que não é apenas técnico, engloba o valor agregado e também funciona como uma potencial ferramenta estratégica. A inteligência competitiva se traduz num processo sistemático e ético de planejamento a partir de necessidades da Informação. 

Tais informações precisam ser categorizadas antes de serem coletadas, tratadas e analisadas para apoiar a tomada de decisão e com a análise do produto dentro do contexto de venda virtual se apoia em números que podem servir de direção à própria precificação de seu produto na Black Friday. A Inteligência Artificial pode monitorar os preços e compras em tempo real, fornecendo elementos importantes que contribuem com o impulsionamento do seu negócio, associado a uma estratégia focada na publicidade criativa e pouco convencional com, maturidade analítica, que fundamentalmente depende de um time bem treinado e preparado para dissecar os números apresentados. 

Como o público “inteligente” pode responder  às ações de marketing no mundo digital?

O cliente, por sua vez, está mais esperto com relação na hora de escolher o que comprar nesse período da Black Friday. Melhor, está mais tecnologicamente preparado para fazer as melhores escolhas, ver as promoções e ter uma experiência agradável na hora de efetuar sua compra. Por isso, ter as melhores tecnologias nas mãos e uma equipe preparada, pode gerar boas vendas mesmo neste período difícil da economia. Afinal, se existe uma crise ela precisa ser vencida. 

Saiba mais: https://computerworld.com.br/negocios/em-ano-de-pandemia-o-marketing-digital-pode-ser-o-grande-aliado-da-black-friday/, https://www.conteudoinboundmarketing.com.br/black-friday-dicas-de-marketing-digital/ 

%d blogueiros gostam disto: