Crescimento da pandemia pode impulsionar vendas online para o Natal

Por Roberto Marcio

A despeito do início do processo de vacinação contra a pandemia do coronavírus em todo o país, os casos de infectados subiram praticamente em todos os estados da federação nesta reta final de 2020. O repique da doença assusta muitas pessoas, que já começam a planejar suas compras de fim do ano pela internet e faz aumentar ainda mais a previsão de lucros, principalmente das grandes varejistas que, após terem tido boas vendas na Black Friday, apostam tudo no e-commerce para fechar o ano alheios à crise provocada pela Covid=19.

As lojas físicas que começaram a se transformar em digital por causa da pandemia temem, no curto ou médio prazos, o fechamento de seus estabelecimentos com um possível lockdown. Por isso, elas já preveem intensificar a publicidade digital para ganhar o público com seus produtos. Para esses gestores, é o tudo ou nada para salvar o seu negócio, que já sofre com a crise econômica e diante de uma possibilidade real de novas restrições, terá que adotar uma estratégia assertiva para garantir um Natal menos problemático – ou quem sabe com recorde de vendas.




A velha frase que aponta para aproveitar as oportunidades na crise, talvez nunca esteve tão em voga no momento. E tem razões para apostar no momento atual para conquistar mais clientes. A experiência recente da Black Friday é uma inspiração tentadora para apostar num período lucrativo. A Braspag, empresa do grupo Cielo e líder em soluções de meios de pagamento para e-commerce na América Latina, registrou aumento de 98,05% no número de transações durante o horário de pico do evento de vendas, que aconteceu entre 10h e 11h, com relação ao horário de pico do ano passado, que ocorreu entre 11h e 12h. Em relação à média de compras das últimas sextas-feiras de 2020 (entre 30 de outubro e 20 de novembro), o crescimento de vendas chegou a 242,05%. Se comparado com a média das sextas-feiras comuns do 2º semestre de 2020 até a Black Friday, o aumento de transações atingiu 278,09%.

Soluções digitais podem mudar o panorama de seu negócio

Chegou a hora da virada. Sendo assim, 2020 mudou a vida das pessoas em vários âmbitos. Alterou a economia, saúde, formas de trabalho, diversão e também as maneiras de fazer negócio – mais especificamente: de vender produtos. Por conta do isolamento social, as lojas físicas fecharam – algumas continuam sem abrir as portas – e a internet se firmou ainda mais como um importante canal de divulgação para diversos tipos de produtos. O varejo foi um deles. Acompanhou essa transformação digital, inserindo uma nova tendência na forma de vender e de atrair consumidores.

Um dos setores da economia que está bem posicionado nestes tempos de crise econômica, o ramo varejista é provavelmente melhor preparado para atender a uma possível demanda maior, caso prefeituras adotem o lockdown. Há até outras formas de ganhar dinheiro com o e-commerce sem, ao menos, sair do conforto de sua casa. Um dos motivos do sucesso é que a divulgação não demanda muito investimento financeiro – só é preciso um bom smartphone e boa conexão à internet – o que traz retorno tanto financeiro com o aumento da demanda, quanto maior engajamento do público com a marca. Por isso, nunca esteve também tão requisitado como as ações do marketing digital, pois oferece inteligência artificial para solucionar seus problemas, Power BI, análise preditiva, inteligência de mercado e comercial, data driven, Analytics…. Uma infinidade de recursos que pode dar a pronta resposta neste fim de ano atípico que a humanidade enfrenta.  

A experiência do consumidor está cada vez mais digital e é essencial as marcas seguirem as tendências para que não percam oportunidades de vendas. Tudo isso, entretanto, sem esquecer o momento delicado que vivemos. Sim, não se trata de alarmar ninguém ou coisa parecida, já que trabalho com previsibilidade e, baseado nos dados do Ministério da Saúde, os casos de contaminados crescem de forma assustadora. Assim, para este Natal completamente diferente da maioria, as compras para os festejos deverão ser aceleradas. Quem viver, verá!

Saiba mais: https://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/artigos/entao-e-natal-o-que-fazer-para-vender-mais,4119985409a75710VgnVCM1000004c00210aRCRD 

%d blogueiros gostam disto: