Marketplace tem muito a comemorar. E nós temos muito o que aprender com ele

Por Roberto Marcio

Hoje é possível traçar os sentimentos e palavras-chave mais mencionados nas redes sociais monitoradas sobre um determinado produto, trazer uma exatidão maior do que se vê em pesquisas de intenção de compra. Este é um dos instrumentos usados por varejistas que se orientam pelo marketing digital para conquistar o público em geral, uma “bússola” que orienta metodologias para garantir vendas neste fim do ano. Se a crise bate à porta das maiores economias do planeta, justamente o setor que ganha muito neste momento é o Marketplace, uma modalidade que serve de referência para quem sonha ganhar dinheiro nos negócios online.

A disputa por clientes – sobretudo após governos decretarem o lockdown no final do primeiro trimestre deste ano- se acirrou. Parte importante da população passou a fazer compras online, já que o comércio de lojas físicas se viu obrigada a fechar suas portas como uma das medidas para manter as pessoas em casa, desta forma evitar a disseminação do vírus da Covid-19. Para testar a popularidade das grandes varejistas hoje no mercado, uma votação virtual mostrou que o Marketplace está em alta na internet. 




A Amazon foi escolhida como o melhor Marketplace no Brasil, segundo votação popular do iBest, que premia as melhores iniciativas do universo digital brasileiro. Ela disputou com a Magazine Luiza e Mercado Livre na votação aberta. Já na eleição da Academia, que é decidida por um júri de especialistas, o vencedor foi Mercado Livre, maior marketplace do país, que concorreu novamente com a com Amazon e com o Magazine Luiza.

O Prêmio iBest aponta os melhores do Brasil em duas votações paralelas: uma de acordo com a percepção popular e outra de um júri de especialistas (a Academia iBest). Como critério de qualificação para ambas, os dez finalistas (os iBest Top 10) foram definidos através de um algoritmo proprietário do iBest que calcula a presença e o engajamento nas principais redes sociais. Foi a partir dessa lista que o público e o júri de especialistas escolheram as iniciativas digitais que considera as melhores de cada categoria.

As campeãs na preferência popular revelam, por um lado, o sucesso nos negócios que está em alta na internet. Então, como explicar o êxito alcançado pelas grandes varejistas num momento difícil que passa a economia brasileira? A explicação pode estar na parte dos brasileiros está com “dinheiro em caixa”, montante que foi represado ao longo dos meses tanto devido à diminuição de atividades de lazer ou turismo, por exemplo, como também por precaução por vivermos tempos de incertezas. O comércio online também saiu de 4% de participação no varejo total para 10%, o que foi impulsionado com a pandemia e o isolamento social.

Apenas as grandes varejistas têm vez? As coisas não são bem assim

Na realidade, o Marketplace pode ser uma boa porta de entrada também para aqueles que não têm o tamanho de uma Amazon ou Mercado Livre, por exemplo. Em tempos de pandemia, todo tipo de incentivo a micro e pequenos empreendedores é bem-vindo, por isso muitos deles se associam aos grandes sites de compras diversas para colocar seus produtos na vitrine virtual e, claro, garantir boas vendas. 

Há várias formas de encaminhar produtos, antes esquecidos, para ser um sucesso na internet. O planejamento, o marketplace de produtos autorais instrui que os artesãos, micro, pequenos e médios empreendedores se dediquem ao marketing. A montagem de kits promocionais de produtos diversos pode ser uma ótima estratégia para quem quer vender aqueles produtos de coleções antigas, ou que estão parados no estoque, oferecendo opções que atendam aos diferentes gostos e bolsos.

Sendo assim, a importância do Marketplace é exatamente compreender seu mecanismo de funcionamento e como pode se associar a algum site, como Mercado Livre, para buscar uma parceria nas vendas. Nos dias de hoje, para quem pensa em migrar suas iniciativas para a internet, é importante estar atento a detalhes cruciais.  Começar uma loja virtual pode gerar muitas dúvidas, uma delas é sobre o que vender na internet. A estratégia de focar em um segmento pode ser uma grande iniciativa para alcançar a confiança de seu público-alvo.

A vantagem de trabalhar com um nicho de negócio é que o empreendimento pode se tornar autoridade no ramo, atraindo consumidores que estão em busca de um commerce especialista. Vale salientar que ao contrário do que muitos pensam, focar em um segmento de negócio não diminui o número de vendas, apenas direciona para uma fatia de consumidores com maior fit e, como no e-commerce não existe a barreira geográfica, o produto comercializado pode chegar em qualquer lugar.

Marketplace mostra ser um caminho viável para vencer a crise 

Neste ano, foram muitos os desafios enfrentados pelas empresas de diversos segmentos, entre eles o varejo. Com a pandemia e lojas fechadas, muitas empresas do setor aceleraram seus processos de digitalização e direcionaram os seus investimentos para o digital. Além disso, a adoção das chamadas “soluções inteligentes” para vender mais entrou no planejamento desde pequenos até grandes negócios.

Com a utilização da tecnologia de big data, juntamente com um bom time de especialistas da área analisa milhões de dados de apps e sites diariamente para então, estabelecer as melhores estratégias para cada empresa ou segmento, que vão desde a inteligência e otimizações data-driven até o aumento das taxas de conversão e análise de concorrentes para crescimento do market-share. O que é importante você saber é: não importa seu tamanho enquanto empresa ou comércio, adotar tecnologias e ferramentas inteligentes é o caminho para ser bem sucedido no mercado online.

Usando como exemplo o Grupo Guararapes, este investiu na proposta de valor ao cliente por meio de uma melhor experiência de compra. Reflexo desses esforços foi a conquista de um crescimento de 380% nas vendas por meio dos canais digitais da Riachuelo e um aumento de 33% do ticket médio no 3T20, mesmo com todas as lojas físicas reabertas a partir de agosto. Alinhado à visão de negócio sem fronteiras, o marketplace do grupo, parte da estratégia de construção da plataforma de moda e lifestyle, terá os primeiros sellers integrados na primeira quinzena de dezembro.

O Marketplace, por definição, é “ um e-commerce, mediado por uma empresa, em que vários lojistas se inscrevem e vendem seus produtos. Essa loja virtual funciona de forma que o cliente pode acessar um site e comprar itens de diferentes varejistas, pagando tudo junto, em um só carrinho”. Dessa forma, é um horizonte para quem quer driblar os tempos difíceis de hoje e obter um espaço importante no mercado dos negócios.

Saiba mais: https://www.ecommercebrasil.com.br/secoes/marketplace/ https://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/artigos/conheca-as-vantagens-do-e-marketplace-para-os-pequenos-negocios,3f6402b5b0d36410VgnVCM1000003b74010aRCRD .  

%d blogueiros gostam disto: