Janeiro é um bom mês para vender? Com a estratégia certa, a resposta é sim

Por Roberto Marcio

Acabaram os festejos de 2020. A ressaca das comemorações já são bem conhecidas: Contas a pagar no início de ano, despesas com férias e pouco sobra para os consumidores gastarem. Sendo assim, é importante disputar a preferência para conquistar boas vendas em cima desse “pouquinho” que resta. Para alcançar esse objetivo, sai na frente quem recorre ao marketing digital.

O ano começou e com ele chegaram as promoções e saldões nos shoppings. Mesmo com restrições devido à pandemia, a expectativa dos lojistas é alta. E falando de estratégias para aumentar as vendas do varejo físico, no mercado já é possível utilizar CRM e Inteligência Artificial para otimizar ações dos shoppings por meio de dados. Não apenas nas lojas físicas, mas pela internet é possível conseguir descontos de vários produtos, principalmente daqueles parados em estoque, que não obtiveram muito sucesso de vendas durante o Natal.

Seja por meio de um CRM específico para o varejo off-line, por loyalty, carteira digital, integração com os maiores e-commerces do país e empresas de telefonia, a empresa impulsiona a migração das lojas e shoppings para uma plataforma inteligente de varejo, baseada em Big Data e apoiada em tecnologia própria e brasileira. Esta é a saída para realizar uma boa campanha de marketing que venha a conquistar esses consumidores que, mesmo com muitos compromissos financeiros do mês, podem surpreender nas compras. Cabe a você, empresário ou comerciante, estar atento a este movimento. 

A crise existe e está potencializada pela pandemia.  Mesmo assim, setores como Shopping Centers querem conquistar mais clientes

O ano de 2020 foi desafiador, mas também marcado pelo crescimento exponencial do e-commerce ao redor de todo o mundo, impulsionado pelo distanciamento social. O mês de dezembro não foi diferente para o setor no Brasil, registrando uma evolução de três dígitos no comparativo com 2019. Tudo bem que no último mês do ano temos por aqui o reforço do 13o salário, o que contribui em muito para os bons números brasileiros. É aproveitando esse embalo que muitas apostas estão nas vendas online. Há um certo clima de otimismo em recuperar as perdas decorrentes de 2020, causadas pela pandemia do coronavírus.

Com várias plataformas à disposição, os shoppings, por exemplo, conseguem fazer campanhas e ações com base em perfis de consumo. Ao invés de apenas fazer uma divulgação do shopping em si, ou da data sazonal, o shopping passa a participar da jornada de venda das lojas. Como o shopping tem a base de todas as pessoas que frequentam aquele marketplace, por meio de algumas plataformas divulga o produto certo para o cliente correto, se beneficiando dos algoritmos de machine learning que entendem o cliente pelo seu histórico, e não por suposições. Ou seja, é preciso ter dados confiáveis para ter uma boa estratégia de vendas.

Sendo assim, não é novidade que o ambiente digital, em 2021, é exponencialmente importante para as empresas, uma vez que é lá que estão seus consumidores. Mas nem sempre é tão simples quanto parece concluir o processo de “transformação digital” tão falado nos últimos anos. Durante esse caminho, os dados são o insumo mais importante. E, mais do que tê-los, as empresas, independentemente do setor, precisam saber como analisá-los e assim tornar possível saber quem, de fato, são seus consumidores, como é a jornada de compra de cada um, quais são as preferências, necessidades e comportamentos.

Saiba mais: https://www.agendor.com.br/blog/como-atingir-meta-de-vendas/ https://www.ecommercebrasil.com.br/artigos/estrategias-de-promocao-janeiro/ 

%d blogueiros gostam disto: