Saúde e tecnologia: como a pandemia aproximou duas ciências que mudaram o atendimento e tratamento dos pacientes

Por Roberto Marcio

A maneira como a pandemia do coronavírus transformou a vida da população ainda será tema de muitos estudos nos próximos anos. Avaliar a profundidade com a qual trouxe o “Novo Normal” para cada um de nós é até possível, porque o processo está bem na frente de todos: a transformação digital acelerou a mudança que já estava em curso. A saúde, por exemplo, está tirando boas lições ao se associar ainda mais com a tecnologia para agilizar uma série de procedimentos e serviços, um casamento que só tende a se fortalecer nos próximos anos.

No Brasil, o uso da tecnologia na medicina já estava em curso faz tempo, sobretudo na área de pesquisa, diagnóstico e até cirurgia, sendo o país reconhecidamente um parceiro confiável na agenda mundial. No entanto, a pandemia fez com que a saúde em geral passasse a usar ainda mais recursos tecnológicos que, aplicados à logística, canal de atendimento aos clientes, exames mais precisos, dados extraídos em tempo real, se tornaram alguns dos componentes de transformação.




Como uma forma de evitar qualquer risco de contaminação, muitas pessoas têm optado pelos serviços digitais e no âmbito da saúde, as health techs têm tido um papel fundamental na hora de auxiliar e oferecer produtos e serviços que irão ajudar a população a se precaver do Covid-19. A tecnologia se dispôs a colaborar oferecendo soluções que vão desde a análise preditiva até o uso da Inteligência Artificial na ajuda para agilizar e descobrir a cura para os pacientes. 

Healthtechs melhorando a gestão e o atendimento aos pacientes

Apesar do cenário econômico assustador em 2020, diretores de empresas de tecnologia garantem que as suas plataformas e inovações são capazes de impulsionar o crescimento e acelerar a recuperação dos mercados que foram mais atingidos pela crise. Nem tudo está perdido e é hora de renovar as esperanças para 2021.

A utilização de tecnologias que assegurem os dados dos pacientes, auxiliando ainda na rapidez de autorização e aprovação de consultas e exames com as operadoras e na automação de processos só resulta em benefícios para as partes. As startups têm oferecido, por meio das Healthtecs, esses e outros serviços diferenciados.

Por outro lado, como todo o ecossistema empreendedor brasileiro encontra dificuldades, a baixa qualidade da mão de obra brasileira aliada à grande competição entre as empresas por pessoas altamente qualificadas acabam sendo, muitas vezes, gargalos para o desenvolvimento e inovação, inclusive no setor tradicional de saúde, hoje um dos mais importantes.

Portanto, a utilização da tecnologia para romper barreiras e deficiências do setor tem adquirido uma intensidade incomparável em décadas. Assim como no caso da telemedicina, que promoveu consultas durante o isolamento social, a inteligência artificial e o machine learning estão cada vez mais presentes na busca por entender melhor as necessidades de profissionais de saúde e pacientes, gerando oportunidades de novos negócios e melhorias nos processos atuais.

Saiba mais: https://www.ipea.gov.br/cts/pt/central-de-conteudo/artigos/artigos/182-corona http://www.sbeb.org.br/site/wp-content/uploads/LivroVersaoFinal15-07-2017.pdf 

%d blogueiros gostam disto: