Inteligência de dados para os clubes de futebol para aumentar os negócios

Por Roberto Marcio

A pandemia deu um freio na presença de público nos estádios de futebol. Embora não seja a única ou até mesmo maior fonte de arrecadação dos clubes, a torcida não deixa apenas o dinheiro no ingresso que será revertido para o seu time do coração, mas consome os produtos relativos a sua paixão, gerando divisas importantes nesses tempos de restrições orçamentárias. Por isso, a inteligência de dados pode dar a orientação às instituições esportivas a darem uma direção no sentido de compensar as perdas nesses tempos difíceis.

A verdade é que com ou sem a pandemia, o amor do torcedor (ou consumidor, dependendo do ponto de vista) seguirá igual e é alimentado pela mídia, sobretudo nas transmissões dos jogos pela televisão. Se levarmos em conta que a explosão dos negócios do futebol cresceram exponencialmente de uns anos para cá, um primeiro pontapé foi dado em 1987, quando a Cola Cola patrocinou a Copa União, vencida pelo Flamengo (há quem diga que foi o Sport Recife, mas isso é uma outra história). A multinacional foi a primeira experiência de associação ao principal certame futebolístico do país. 

Hoje, os clubes de futebol adotam o departamento de marketing digital, em que se estudam estratégias para dar maior visibilidade às suas instituições e, assim, conseguir a adesão cada vez maior das pessoas participando do cotidiano, absorvendo notícias das equipes de futebol.. Mais do que isso, estimulá-lo a comprar os produtos licenciados que trazem recursos importantes para a sobrevivência de seus projetos. Na Europa, é claro, esse processo está bem mais adiantado e grandes times como Real Madrid, Bayer de Munique, Liverpool e tantos outros que ocupam a chamada elite são mestres nesses negócios.

Monitoramento vai desde a economia até o comportamento do consumidor 

É fato que o futebol é um amor incondicional que é passado e pai para filho, um afeto que virou um grande negócio. Não é sem razão que os dirigentes (ou CEO´s) adotam soluções para manter as vendas de camisas e outros produtos em alta. Hoje, sem dúvida alguma, o Flamengo é o campeão de sucesso (dentro e fora de campo), por ter feito um plano de trabalho baseado na aquisição de atletas profissionais consagrados e ter proporcionado aos seus milhões de torcedores a alegria de ter conquistado recentemente o título do Campeonato Brasileiro. 

Mesmo sendo observável a reação eufórica de sua torcida, a inteligência de dados – buscada na internet e principalmente nas redes sociais – se tornou um norte para que o departamento de marketing elabore estratégias cada vez mais ousadas de negócios e mantenha o clube em alta. O êxito é tanto que o rubro-negro estuda a criação de uma filial no exterior, justamente para ampliar o número de adptos que hoje estás em torno de 40 milhões.

A oferta de pacote dos clubes ao seu torcedor são muitos. Recentemente, Veloe e Palmeiras irão oferecer adesivos de pagamento automático com as cores e o escudo do clube alviverde. A parceria, que se iniciou em fevereiro, tem o objetivo de trazer mais agilidade nas passagens por pedágios e estacionamentos e com um adesivo personalizado que representa ainda mais o amor pelo Palmeiras time paulista. 

Os sócio-torcedores do clube terão uma vantagem especial com duas mensalidades grátis a mais que os torcedores comuns. Isso é apenas um exemplo de como os negócios e a paixão podem andar juntas e trazer rentabilidade num período de pandemia. A associação forma vencedores e as oportunidades únicas que, com as ferramentas certas, podem potencializar vendas  de artigos gerando lucros astronômicos. 

Saiba mais: https://www.startse.com/noticia/nova-economia/ciencia-de-dados-liverpool-futebol

%d blogueiros gostam disto: