Marketing digital e vendas: uma reflexão nesses tempos de pandemia

Por Roberto Marcio

A pandemia trouxe de fato mudanças significativas que impactam consumidores e empresas, gerando crises e oportunidades com o ingresso cada vez maior da tecnologia. Uma das consequências disso é a interação de uma empresa com seus clientes como uma das partes mais importantes de um processo de vendas. Assim, as equipes de marketing sabem da importância do uso dos dados para conhecer melhor seus consumidores, mas mesmo assim havia uma grande dificuldade em traduzir esses dados em insights e usá-los como aliados no processo criativo. Este processo está ganhando amadurecimento e só tende a crescer nos próximos anos.

O marketing digital despontou não só como um diferencial, mas como uma necessidade deste mercado de vendas online. Contudo, uma boa estratégia vai além de investir em anúncios patrocinados ou em parcerias com influenciadores: precisa reunir dados para orientar uma melhor tomada de decisão.

Muito se fala sobre cultura de dados, mas a importância desse investimento para as empresas ainda não é tão tangível em muitos casos. Por meio de um mapeamento de dados corretos, uma marca identifica onde investir para obter bons resultados. E como isso é possível? A inteligência artificial é uma das melhores apostas para conseguir organizar, categorizar e analisar todo esse volume de informações.

A IA vai substituir os trabalhadores no curto prazo? A resposta é não. Mas ter uma boa estratégia faz a diferença!

Muito se tem perguntado se a IA vai substituir o engenheiro, cientista ou analista de dados no curto prazo. A resposta é um sonoro não. O papel humano nesse processo ajuda as empresas a venderem mais ainda será fundamental por muito tempo. O olhar humano na melhor estratégia é o diferencial. 

Cada vez mais, se utiliza a inteligência artificial para consolidar dados das maiores plataformas de vídeo do mundo, permitindo analisar, entender e criar estratégias data driven de conteúdos em vídeo. E o que isso significa na prática? Com essas informações é possível transformar o modo de criar conteúdo, fazendo com que as empresas consigam se conectar realmente com sua audiência, serem relevantes para o público e engajarem.

A urgência em promover campanhas de marketing digital para as empresas se dá pelos números. De acordo com o eMarketer, a receita do social commerce chegaria a US$36 bilhões no final do ano, Por que não criar peças publicitárias para abocanhar parte desse volume gerado pelos negócios online? Se você, empresário, se pergunta por onde começar, eu te dou a dica.

Em primeiro lugar, acompanhar cada etapa da jornada do cliente. Muitas marcas acham que investir dinheiro em mídia, Google, Facebook ou influenciadores, vai resolver as vendas, porém essa é somente uma parte do processo. Existe toda uma jornada do cliente, o e-commerce depende de uma série de KPIs de como está a experiência de compra atrelada à análise de como o tráfego está vindo – sejam pessoas novas ou que já compraram a marca. 

No e-commerce, precisa ter segmentação e, principalmente, oferecer personalização. Por exemplo, se uma marca tem um produto com índice de recompra baixo, faz sentido aumentar os investimentos em mídia para o público recorrente? Ou é preciso pensar em como fazer esses clientes gastarem cada vez mais? 

O marketing digital oferece a melhor estratégia para vendas. Combinar inteligência da máquina e humana é a melhor solução para que seu plano de negócio decole nesses tempos de transformação acelerada digital em meio a uma pandemia. O consumidor mudou e você vai mudar também!

Saiba mais:
https://negociossc.com.br/blog/a-importancia-do-marketing-digital-durante-a-pandemia/
https://www.panrotas.com.br/viagens-corporativas/hotelaria/2021/07/pandemia-exigiu-engajamento-das-empresas-no-marketing-digital_183087.html 

%d blogueiros gostam disto: