Como encorpar a cultura moderna de dados na sua empresa

A tecnologia surge como facilitador para evolução dos negócios

Na vida prática, quanto mais entendemos o que está acontecendo agora, mais rápido podemos nos adaptar e melhor podemos antecipar interrupções e oportunidades futuras. As empresas que investiram em ferramentas digitais, análises avançadas e conhecimento de dados não apenas navegaram na pandemia Covid-19 com mais sucesso, mas capacitaram culturas mais flexíveis e resilientes. Por isso, vamos entender como é importante encorpar a cultura moderna de dados nos tempos atuais. 

Ter uma cultura de dados já não é mais uma receita de sucesso, mas uma necessidade frente às demandas puxadas pelo mercado, que vive uma forte transformação digital acelerada desde o início da pandemia. Em razão disso, muitos fluxos de trabalho e processos existentes foram otimizados para um modelo de gerenciamento tradicional que bloqueia os bolsos de dados para uso por determinados departamentos e unidades de negócios, com poucos indivíduos vendo a imagem completa dos dados. 

Vale ressaltar que otimizar o valor de negócios dos dados requer acesso aberto em toda a organização para que todos os tomadores de decisão – do CEO ao funcionário da linha de frente – trabalhem com uma versão única e atualizada da “verdade”.

Afinal, encorpar uma cultura de dados está no primeiro da lista de prioridades de uma empresa, por que? A tendência é a de que a análise de toda a situação da corporação, tanto no front interno como no externo, seja cada vez mais assertiva, que os dados apurados sejam transformados em munição para os tomadores de decisão se orientarem da melhor forma possível. 

Portanto, empresas que cultivam uma cultura moderna de dados obtém um fluxograma que atua em vários departamentos possíveis, o que dá aos gestores insights mais críveis para solucionar os problemas cotidianos. 

A tecnologia como facilitadora dos processos de depuração dos dados

Já aprendemos que a tecnologia desempenha um papel importante na criação de uma cultura baseada em dados, com certeza. 

Ferramentas analíticas e de aprendizado de máquina modernas, combinadas com infraestrutura de dados baseada em nuvem, fornecem uma base para uma estratégia de dados corporativa unificada. Mas o maior fator de sucesso é fazer uma mudança em toda a organização para uma mentalidade baseada em dados e os processos e políticas que a suportam. 

Não chega a ser uma ação das mais fáceis possíveis. Essas mudanças fundamentais na forma como a empresa opera exigem o comprometimento da liderança executiva, que inclui educar a força de trabalho sobre o valor intrínseco dos dados para a empresa. É uma mudança de atitude frente aos desafios impostos pela necessidade de expandir os negócios em um momento desfavorável na economia. 

Ah, é importante ressaltar que, antes de tudo, a cultura moderna de dados é encorpada com incentivos diretos a comportamentos coletivos das pessoas que valorizam, praticam e incentivam o uso de dados para aprimorar a tomada de decisões. Investir em tecnologia é primordial, assim como o treinamento dos colaboradores para que as informações obtidas sejam usadas adequadamente. 

Por fim, alinhar os dados e as análises para conseguir bons resultados é o que deve nortear o trabalho dos profissionais à frente dos negócios. Aprimorada, ela se torna a linha mestra para que os dados fluam de maneira que irá dar uma clareza aos objetivos definidos ao longo de uma temporada, ao mesmo tempo que suas informações podem flexibilizar um projeto, adequando-o ao momento do mercado e do país. 

O que não pode abrir mão é de encorpar a tecnologia e a cultura de dados.

Saiba mais:
https://digital.consumidormoderno.com.br/a-cultura-de-dados-na-experiencia-do-cliente-ed267/
https://medium.com/somos-tera/porque-a-mckinsey-considera-a-cultura-de-dados-importante-b643b26581c6 

%d blogueiros gostam disto: