Guerra no varejo: como enfrentar a concorrência com inteligência

A guerra no varejo ganhou contornos políticos recentemente, quando uma comitiva procurou o presidente Jair Bolsonaro para denunciar empresas como AliExpress, Wish, Shein, Shopee e Mercado Livre que estariam praticando concorrência desleal. A despeito do debate, a situação reforça a necessidade das empresas se prepararem melhor para sobreviver – e lucrar – com o mercado. A resposta para isso é simples: recorrer a estratégias inteligentes para conquistar o consumidor.

Por trás de intensos debates sobre as concorrentes estrangeiras que entraram de cabeça no mercado brasileiro, existe uma disputa por milhões de consumidores que, apesar do fim das restrições impostas pela Covid-19, seguem gastando como nunca. Mesmo com a inflação alta, que corrói o bolso do brasileiro, clientes de todas as classes não abandonaram as compras online. É muito dinheiro circulando pela rede.

No documento apresentado pelo empresário Luciano Hang Grupo, intitulado ‘Contrabando Digital’, cita empresas gigantes do varejo a importarem produtos mais baratos da China, o que na opinião citada cria distorções e prejuízos ao mercado nacional. Empresários do varejo pressionam governo contra importação da China por pessoa física, entre outros motivos.

Se o Governo Federal tomar alguma decisão a respeito, ficaremos no aguardo. 

Mas é preciso ficar atento quanto à importância de superar seus concorrentes com estratégias que funcionam para valer, que vão ganhar corações e mentes dos consumidores e assegurar sua vantagem competitiva no mercado. Baseado no varejo verde e amarelo, vamos dar dicas importantes sobre o uso correto da inteligência comercial e vencer as dificuldades.

Decisão sobre varejistas internacionais deve ser monitorada. Isso tem impactos nos negócios 

Parece que a comitiva que entregou o documento ao Governo Federal encontrou ecos em Brasília. O Ministério da Economia deu ouvidos a Luciano Hang e à companhia, já que está preparando uma taxação mais incisiva em cima das lojas de importações provenientes da China, em especial, a Shoppe e Aliexpress. É importante acompanhar o desenrolar dessa situação por que?

A decisão de taxar as estrangeiras certamente vai trazer impacto no varejo nacional. De acordo com especialistas, a opinião é unânime em afirmar que os preços de vários produtos tendem a subir, o que pode deixar os brasileiros do setor com opções de oferecer um equilíbrio de preços. Ou seja, uma “guerra” de valores pode ocorrer para o bem do consumidor. 

Neste momento, uma empresa que está ou quer ingressar no mercado do varejo precisa monitorar as consequências do mercado, mesmo se o Ministério da Economia deixar tudo como está. Com o monitoramento adequado, seu negócio terá dados que vão orientar compras e vendas, a flutuação do mercado na oferta e demanda, além dos custos, ítem do problema central das varejistas do país.  

Além do monitoramento, o mercado passou a ser mais “inteligente” à medida que tecnologias foram aprimoradas para este fim. A pandemia mostrou isso. Com o comércio físico paralisado,. as compras foram direcionadas para o mundo virtual. Hoje, a participação humana está mais ligada à tomada de decisão final, que é feita baseada nos dados disponíveis. 

Mercado inteligente pode ajudar a superar as gigantes do mercado? 

A introdução cada vez maior das tecnologias inteligentes nas empresas, independente do tamanho, transforma o próprio varejo. Espera-se que o mercado de varejo inteligente impulsione no período de previsão de varejo de 2021 a 2031. e ferramentas digitais. A importância das soluções inteligentes de varejo ou a experiência de compra dos consumidores nos modos online e offline. 

Os compradores aproveitam a experiência de compra por meio do varejo inteligente, o que pode fornecer imensas oportunidades de crescimento para o mercado de varejo ou período de previsão de 2021-2031. Ao fazer um link com o pedido de taxação ou banimento das varejistas internacionais, acompanhar as notícias do mercado, muitas vezes, precisa de especialistas no assunto para orientar na sua tomada de decisão.

Vale uma dica de como é possível buscar seu espaço no mercado? Bem, atualmente a navegação online por itens antes das compras offline aumentou. As soluções de varejo inteligentes permitem uma experiência de compra omnicanal ao fornecer cupons de desconto para clientes que se aproximam da loja após uma navegação online. Isso pode ser um impulsionador do crescimento para o mercado de varejo inteligente.

Então, não dá para brigar com os “grandões”?

Inteligência de dados vai te ajudar em qualquer cenário

À espera de uma decisão final do Ministério da Economia, vamos dar dicas para o varejo brasileiro sobreviver nesses tempos de concorrência acirrada. Sendo assim, para quem está na briga, a pergunta que fazemos é: Você é um risco? 

Seu objetivo é enfrentar uma enorme concorrência do mercado digital e se adaptar a clientes cada vez mais educados e ágil, buscando mais do que apenas meta é o melhor objetivo para o preço: uma experiência perfeita e objetivos para uma base mais ágil na tomada de decisão. 

A jornada de compra do cliente no varejo precisa ser, diria, perfeita. Proporcionar a melhor experiência, eliminando gargalos no processo até a finalização da compra precisa estar no topo do planejamento de seu negócio. 

Para isso, dê o salto para o comércio eletrônico e mídia digital, análise e otimização consistente e trabalho colaborativo. Essas são as respostas óbvias, mas há outros pilares importantes para dar consistência às suas transações comerciais.

Ter em mente que a conquista do mercado necessita de uma estratégia eficiente. Recomenda-se uma parceria com empresa de marketing digital, pois através de sua metodologia de trabalho traz resultados rápidos e eficientes. Um relatório de inteligência o põe a par para orientar na melhor tomada de decisão possível, obtido graças a tecnologias como a Inteligência Artificial, Machine Learn, Internet das Coisas e diversos softwares que são tratados por especialistas na área. 

Por fim, as possibilidades de última geração para o consumidor estão sendo feitas para melhorar a experiência do cliente no ano seguinte. Os clientes já estão a caminho de fazer por meio de uma variedade de canais, dando a eles controle sobre seu caminho até a compra. 

Sendo assim, para permanecer relevante com essas tendências centradas no consumidor no varejo, como equipes de marketing precisarão para experiências de projetar mesuras clientes usando métodos de marketing aprimorados e orientados por experiências.Somente isso poderá, de fato, a impulsionar o varejo brasileiro a um novo patamar, independente das decisões políticas e embates fora da esfera dos negócios. 

Saiba mais: https://www.moneytimes.com.br/luciano-hang-e-empresarios-pedem-a-bolsonaro-acoes-contra-aliexpress-shoppe-sheine-e-mercado-livre/ https://olhardigital.com.br/2019/02/17/noticias/varejo-inteligente-conecte-dados-fisicos-e-virtuais-para-atender-ao-consumidor/ 

%d blogueiros gostam disto: