Quais mudanças o BI vem sofrendo e a importância dele no mercado competitivo

Como você define suas metas, estratégias e o plano de ação dentro de sua empresa? Como toma as principais decisões?

Lembra das pequenas mercearias que existiam perto das nossas casas? Cabia ao dono decidir os preços, quando repor os estoques, quais quantidades comprar, testar ou não novos produtos. Tudo isso baseado em sua experiência, na intuição ou na tentativa e erro.

Mas, de algumas décadas para cá, o mundo dos negócios passou a se preocupar mais com a forma como as decisões são tomadas, visando focar nos resultados. Os conceitos de administração mudaram totalmente e passamos a decidir com base em dados e não mais apenas achismos.

Nesse contexto, começamos a conviver com um termo que vem sendo muito repetido dentro das empresas, principalmente, a partir da década de 1990: o Business Intelligence (BI) ou Inteligência de Negócios, na tradução para o português. Que, segundo a Gartner, é “o processo de transformar dados em informação e, através da descoberta, transformar a informação em conhecimento”. O que está diretamente ligado à tomada de decisões.

E hoje, com um mundo hiper digitalizado e ambientes de negócio altamente competitivos, o uso da tecnologia nas empresas, consequentemente, foi intensificado e, claro, até mesmo o sistema de BI vem sofrendo mudanças e avanços.

Agora, plataformas digitais são usadas para alcançar metas. O monitoramento da internet, como as mídias sociais, por exemplo, passou a ter um papel fundamental na elaboração de estratégias. O desenvolvimento de softwares cada vez mais robustos tem possibilitado acesso a valiosos históricos de dados. E as transformações não param.

Já pensou também em como a mudança de comportamento do consumidor, que passou a ser hiperconectado, tem gerado um grande volume de informações e isso influenciou diretamente no BI?

Por isso, se a sua empresa ainda não toma decisões impulsionada por dados ou se quer melhorar esse processo, esse artigo é para você. Conheça mais sobre o Business Intelligence, como ele é fundamental para diversas áreas, e quais as mudanças esse termo vem sofrendo com o avanço das tecnologias.

O que é o BI moderno e como ele vem se transformando

Não existe nenhuma novidade no termo Business Intelligence. Ele já é usado há anos – desde a década de 1960 – para se referir à troca de informações dentro das organizações, principalmente com o surgimento de novos formatos de armazenamento naquela época, como o Direct Access Storage Device (DASD) e o Sistema Gerenciador de Dados (SGBD).

Mas estamos tratando aqui do BI moderno, que começou a se desenvolver junto com o surgimento dos modelos computacionais que ajudavam a transformar dados em informações úteis para os negócios. A partir das décadas de 1980 e 1990, o termo passa a ser usado para explicar a inteligência no processo de coleta, organização, análise e compartilhamento de dados.

E, ao longo dos anos, diversos softwares relacionados ao BI foram surgindo no mercado, como o Decision Support System (DSS), Data Marts, Data Mining, ferramentas On-Line Analytical Processing (OLAP), planilhas eletrônicas, etc. Eles foram evoluindo para soluções de gestão de performance corporativa, combinando ferramentas de planejamento, orçamento, geração de relatórios e benchmark.

Portanto, BI é, de forma integrada, uma análise de como a empresa está operando e a comparando com os seus próprios resultados do passado. Além de usar também dados sobre concorrentes, fornecedores, produtos, clientes. É uma forma abrangente de auxiliar as organizações a tomarem as melhores decisões para alcançar resultados e otimizar o desempenho dos negócios utilizando os dados.

Conceitos de Big Data e Analytics, por exemplo, que são métodos para extração de dados de inteligência, são considerados ferramentas de Business Intelligence. Mas o termo abrange diversos outros em seu escopo, como Competitive Intelligence (Inteligência Competitiva), Market Intelligence (Inteligência de Mercado), Customer Intelligence (Inteligência de Clientes), Sales Intelligence (Inteligência de Vendas), Counter Intelligence (Contra Inteligência), etc.

Mas assim como as tecnologias, o BI veio se transformando ano após ano. E isso tudo vem evoluindo, com diversos novos processos surgindo dentro do BI derivados dos antigos sistemas de dados, mas que agora passaram a ser ferramentas integradas a outros diversos softwares.

A Inteligência Artificial e o Machine Learning são exemplos disso, com ferramentas que podem ter suas informações integradas à estratégia de BI.

Além disso, as mutações foram acontecendo tanto pelo aparecimento de novas tecnologias, quanto pela mudança no estilo de vida dos seres humanos. Com o passar do tempo, os sistemas de informações precisam sofrer modificações e adaptações para atender as demandas. E sua empresa precisa estar atenta a isso.

Hoje, por exemplo, passamos a gerar um volume muito maior de informações graças ao uso das tecnologias. Usamos a internet para quase tudo, desde conferir a previsão do tempo até fazer compras. Interagimos o tempo todo pelas redes sociais e pagamos nossas contas por aplicativo de celular. Tudo isso deixa rastros.

Além desse grande volume de informações, as empresas ainda precisam lidar com processos em tempo real, com tudo acontecendo ao mesmo tempo. As informações coletadas através do BI precisam ser claras e estar disponíveis a qualquer momento.

Por isso, a internet, nesse cenário, passou a ter papel fundamental na criação de estratégias e na tomada de decisões, sendo uma ferramenta indispensável de BI.

Porque é importante investir em BI

Dentro do Business Intelligence não existem limitações, são inúmeras possibilidades para contribuir com todos os setores dentro de uma empresa e acompanhar o desempenho de um departamento ou do negócio como um todo. 

Entre suas vantagens estão a montagem de relatórios e gráficos customizados com fácil acesso a qualquer usuário, ou seja, uma interação intuitiva e rápida; painéis analíticos interativos; compartilhamento de resultados; ferramentas para todo o ciclo da informação;  possibilidade do uso de indicadores de gestão; padronização do acesso aos dados e regras de negócio; etc.

Com isso, sua empresa tem maior facilidade na identificação de possíveis riscos, com um planejamento empresarial muito mais completo. Além de compreensão das tendências do mercado corporativo, aprimorando a decisão de estratégias e tomadas de decisão. E ainda consegue estabelecer metas com o foco voltado para resultados.

É muito mais fácil identificar formas de aumentar os lucros, analisar o comportamento dos clientes, otimizar as operações, descobrir erros ou problemas, acompanhar o desempenho, identificar tendências do mercado, entre outros.

Além disso, o BI oferece recursos para acompanhamento de vendas, por exemplo, em tempo real.

De maneira simples, o objetivo é extrair inteligência dos dados.

Independente de qual maneira você enxerga o BI – já que é um termo extremamente amplo, o importante é focar nesse conceito de maneira prática. Objetivando visualizar as informações de sua empresa de maneira simplificada e inteligente, independente das ferramentas usadas.

Portanto, o BI pode ajudar a sua empresa a tomar decisões mais assertivas, usando dados para avaliar a atual situação do seu negócio, do mercado, e fazer comparações com os seus próprios históricos, dos concorrentes, clientes, entre outros.

Seja uma empresa orientada por dados! Aplique o BI em todas as áreas e níveis hierárquicos. Qualquer setor que manipule alguma massa de dados pode ter um grande avanço na utilização desse conceito.

A Info4 pode auxiliar nesse processo com todas as soluções que o Business Intelligence oferece.

Opere de forma mais assertiva e eficiente.

%d blogueiros gostam disto: