O que é Dark Data e como transformá-lo em informação útil para os negócios

Já parou para pensar na infinidade de dados que são coletados, processados e armazenados por uma empresa? Mesmo que você não seja da área de Big Data com certeza você imagina um número alto de informações, já que para qualquer transação atualmente muitas vezes as empresas registram o maior número de dados possível de seus clientes, gerando logs, registros, solicitando informações, etc.

Mas você sabia que em muitas organizações a maior parte desses dados acaba se tornando Dark Data, ou Dados Obscuros, como também são chamados?

Muita gente não conhece esse termo, mas Dark Data são dados não estruturados que fluem por qualquer negócio e não são explorados. Eles são capturados e armazenados, mas não chegam a ser analisados, com isso, perdem a chance de serem aproveitados de alguma forma, ou seja, um grande desperdício, porque são mantidos por tempo indeterminado, sem plano de uso.

Podem ser informações comerciais, judiciais, arquivos de log (servidores, arquitetura, sistemas, etc.), documentos, dados vindos de redes sociais, e-mails, informação de geolocalização, apresentações, entre outras, que chegam a representar a maioria dos ativos de informações das empresas.

Conforme identificou a True Global Intelligence, no estudo global chamado State of Dark Data, que ouviu 1,3 mil líderes de negócios e tecnologia em sete países. Eles descobriram que 55% dos dados de uma organização são obscuros, não quantificados e inexplorados. 

Mas muitas organizações já estão se dando conta do valor que essas informações “ocultas” podem trazer para os negócios e pensando nesse tipo de dado não apenas como compliance. Há, dentro do Dark Dados, um grande potencial a ser explorado, com valiosos insights para o sucesso do seu negócio.

Além disso, é preciso ficar de olho nos graves riscos que os Dados Obscuros podem trazer se não tratados como prioridade.

Se você quer entender melhor sobre o que é Dark Dados e o que fazer para começar a usar dados que estão ocultos em sua empresa, então  continue a leitura.

Definição de Dark Dados

Assim como a matéria negra física, difícil de vê-la e medi-la, e que constitui grande parte da massa do universo, o Dark Data segue o mesmo raciocínio. São dados ocultos, difíceis de serem analisados e provavelmente em um volume muito maior do que os dados visíveis.

Dentro da transação digital de cada empresa, elas precisam coletar e armazenar todo tipo de informação, desde históricos de pagamento, números de cartão, endereço, por exemplo, até a hora e localização de cada login, a quantidade de estoque de um depósito, etc. Isso é um Dark Data, assim como informações geradas pelos servidores de aplicação, dados de produto, servidores de arquivos, etc. E eles são diferentes em cada setor.

Há setor que gera Dark Data em formato de páginas da web, tabelas, números e imagens, por exemplo.

Ou seja, uma infinidade de informação que muitas vezes é armazenada apenas para comprovação, mas não é analisada.

Isso não significa que os dados são inúteis, pelo contrário. Mas a maioria das empresas os mantém apenas como uma garantia, como comprovação de algo que ocorreu no passado.

Usando Dark Data para obter insights

Muitas empresas já estão reconhecendo o valor de cada dado para o sucesso dos negócios, e estão implantando sofisticadas tecnologias para retirar o máximo de insights também do Dark Data, com o objetivo de administrar a automação de sistemas com algoritmos de aprendizado de máquina.

Organizações que acumulam Dark Data em seus bancos de dados sem aproveitar as informações mantidas ali podem estar perdendo grandes oportunidades, já que há muito potencial a ser explorado.

Machine Learning e Inteligência Artificial são ferramentas que podem ser usadas para transformar Data Dark em informações que levem a ações de negócio.

O ideal é descobrir como a sua empresa pode tirar proveito dessas informações e explorar diferentes abordagens para processar Dados Obscuros.

Umas das estratégias pode estar no Data Discovery, que é uma forma de tornar os dados limpos, além de facilmente compreensíveis – em formatos intuitivos, e de alta disponibilidade, ou seja, que possam ser utilizados por toda a empresa. Assim, é possível identificar padrões e tendências que ajudam na geração de insights, descobrindo valiosas oportunidades.

Você pode ler mais sobre Data Discovery clicando aqui.

Riscos do Dark Data

Mais do que se tornarem dados obsoletos, Dark Data pode ser perigoso.

Com a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais), é preciso identificar e proteger esses dados de forma correta, já que muitos deles são informações sensíveis e precisam de proteção contra violação. Dados esquecidos e que as empresas às vezes nem sabem que existem podem se tornar alvos fáceis de hackers que procuram informações confidenciais de identificação pessoal ou de pagamentos, por exemplo. Ou até mesmo de criminosos em busca de acesso a insights operacionais.

Não é incomum encontrarmos organizações que nem sabem que esse tipo de informação está em sua rede. E tornar o Data Dark uma prioridade de baixa segurança faz dele uma janela de oportunidade para invasores.

É por isso que, no geral, as empresas que têm essa consciência têm um alto custo para manter o Data Dark, ou seja, para manter dados que, na prática, não são utilizados. Armazenar e proteger essas informações pode significar mais despesa do que valor. E quanto mais Data Dark sua empresa retém, mais será preciso proteger.

O caminho para iluminar o Data Dark

Como é preciso uma classificação e um sistema de gestão para que esses dados sejam mantidos em segurança, um bom começo para empresas que querem aproveitar essas informações é incluir nesse processo maneiras de manipulá-los.

O primeiro passo é encontrar as ferramentas certas para esse trabalho. E, como falamos, as tecnologias estão aí para isso, com Machine Learning e Inteligência Artificial. Processos e recursos inadequados podem dificultar o uso inteligente desse Dark Data.

Feito isso, sua empresa pode remover ou arquivar aquelas informações que não terão mais valor.

É preciso uma abordagem holística, e que a estratégia de dados seja uma prioridade.

Portanto, monitore sempre os seus dados. Informações de Dark Data podem se tornar uma fonte de insights, mas é preciso que alguém olhe para elas usando as ferramentas certas e técnicas analíticas. Além disso, também é preciso pessoal qualificado em ciência de dados e análises para explorar todo o potencial do Dark Data.

Na Info4 você encontra soluções para integrar e combinar dados de diversas fontes de informações. Ajudamos a sua empresa a formar um conjunto de dados estruturados, que facilitem as análises, economizem tempo e potencializem os resultados.

Saiba mais clicando aqui.

%d blogueiros gostam disto: