O que é e como promover uma cultura analítica dentro das empresas

Com a chegada da era digital você já deve saber – assim como a maioria das grandes companhias – que o mundo agora é dos dados!

Nos transformamos em uma sociedade hiperconectada, gerando infinitos “rastros” em praticamente todas as nossas ações na internet. Uma enorme disponibilidade de dados que possibilitam a criação de valiosos repositórios de informações sobre o comportamento dos consumidores.

E não é de hoje que as empresas se deram conta disso. Mais de 90% dos executivos passaram a investir mais em tecnologias como big data e inteligência artificial nos últimos anos.  

Mas será que apenas coletar e armazenar todos os dados garante a geração de informações úteis para o negócio?

Pesquisas apontam que mais de 60% das informações coletadas pelas empresas não são utilizadas.

Então o que significa para as companhias ter todas essas informações?

Sem uma cultura analítica a resposta para essa pergunta é: nada!

E é justamente esse o grande desafio dos negócios atualmente, transformar dados em conhecimento que gere inteligência de negócio e inseri-los no cotidiano.

Mesmo com toda estrutura tecnológica avançada, repositórios de alto desempenho, e tudo que essa transformação digital nos trouxe, muitas companhias não conseguem extrair dos dados tudo que eles seriam capazes e acabam perdendo valiosas oportunidades ocultas.

Existe uma peça fundamental nesse processo e que nem sempre está alinhada com o objetivo do negócio: as pessoas. Isso porque não basta apenas ter os dados, é preciso haver um equilíbrio entre a tecnologia e a cultura analítica da empresa, que precisa ser um hábito.

Cultura essa que está cada vez mais presente no mercado brasileiro graças à transformação digital, mas muitas empresas ainda estão ficando para trás por falta dessa postura analítica.

Estudos apontam que, atualmente, a competitividade empresarial está diretamente ligada à capacidade de as empresas usarem os dados a seu favor. E apesar de muitas já enxergarem o valor dos dados, nem todas têm maturidade para o uso de analytics.

Leia também sobre a aceleração digital clicando aqui.

O que é cultura analítica?

“Cultura analítica”. Você já tinha ouvido esse termo antes? Apesar de a importância dos dados para os negócios não ser mais novidade para ninguém, muita gente nunca ouviu falar sobre isso.

É porque nem todos os funcionários acreditam e utilizam processos e ferramentas que permitam a análise das informações disponíveis na empresa, mesmo com toda sua relevância.

Uma cultura analítica, que também pode ser chamada de Data-Driven ou até mesmo Cultura de Dados, é, em resumo, o “costume” empresarial de ser orientado por dados. Empresas que têm a cultura analítica sempre olham primeiro para os dados antes de qualquer ação.

Por exemplo, no cenário digital, é possível saber o tempo que as pessoas gastam em determinado site, quais páginas acessam, quanto tempo demoraram para ver cada produto, entre diversos outros. Isso se transforma em dados e faz com que a empresa consiga identificar padrões de comportamento dos consumidores ou realizar uma projeção de vendas.

Ter uma cultura analítica é fazer com que todos da empresa entendam e confiem nesta nova realidade dos dados que chegou com a era digital. E mais do que isso, é preciso que todos os colaboradores não só confiem, como utilizem e apostem nas informações.

É uma cultura que precisa estar inserida no dia a dia dos funcionários e, principalmente, dos gestores. E usar as tecnologias como apoio para estabelecer metas, KPIs, etc.

Claro que escolher profissionais especializados em Big Data Analytics é fundamental, mas ter essa cultura no mindset de toda a empresa é tão importante quanto.

Como implementar a cultura analítica?

Falamos aqui sobre a importância das pessoas para os negócios. Porque tão importante quanto investir nas ferramentas tecnológicas certas, é também investir no mindset de toda a empresa.

As pessoas são peças fundamentais para alcançar as vantagens de uma postura analítica. É preciso que elas sejam estimuladas a mergulhar de cabeça no mundo dos dados. E que no cotidiano da empresa todos tenham o hábito de primeiro olhar para os dados antes de qualquer decisão.

Sabemos do esforço em investimento que muitas empresas vêm fazendo em direção a uma mentalidade Data-Driven, mas a implementação nem sempre é fácil justamente pela cultura empresarial.

  • Torne o ambiente favorável

Fomente uma mentalidade criativa nos colaboradores, criando um ambiente que valorize a inovação por meio de dados. Isso vai fazer com que as pessoas passem a utilizá-los de forma natural em todos os processos, como novos projetos, oportunidades futuras, decisões inteligentes.

  • “Desbloqueie” a ciência dos dados

Dados precisam ser fáceis de entender. Desbloqueie a ciência dos dados dentro da empresa utilizando ferramentas de fácil acesso. Algo que decodifique os elementos tangíveis e intangíveis do Big Data. De nada adianta “forçar” o uso de dados sem fornecer as ferramentas adequadas, isso só vai fazer com que sua equipe ocupe tempo com tarefas operacionais.

No mercado já estão disponíveis sofisticadas plataformas inteligentes que podem ser usadas por profissionais de todas as áreas dentro da empresa.

  • Mostre a importância dos dados

É importante que todos entendam o impacto das tecnologias e dos dados na sociedade como um todo. E também nos negócios, nos cenários futuros. Mostre os objetivos da empresa com o analytics, use métricas, KPIs.

  • Democratize os dados

Um erro muito comum nas empresas ainda é o de centralizar as informações em um único setor. Mas um processo fundamental é descentralizar os dados, levar o analytics para todas as áreas da empresa e de forma fácil e prática.

Ou seja, faça com que a mentalidade analítica se torne um ativo e faça parte da cultura do negócio. Claro que essa cultura não muda do dia para a noite, mas é uma construção possível com o envolvimento de todo um time.

Basicamente, é ter o mindset da empresa orientado por dados, usar tecnologias que facilitem a leitura das informações em todos os setores, e ter bem definidos os objetivos de negócio com o analytics.

Separe um tempo para ler também sobre Data Storytelling: criatividade que torna os seus relatórios mais atrativos.

Vantagens da cultura analítica

Tomar decisões mais assertivas, sem achismos, decidindo o momento certo de cada passo dentro da empresa; mais produtividade de todos os colaboradores, evitando perdas de tempo; além da inserção de novas tecnologias nos processos de trabalho estão entre as vantagens de uma cultura analítica.

Diferente do passado, quando gestores tomavam decisões com base no seu “feeling” e experiência no negócio, agora as decisões são tomadas orientadas por dados. Isso traz maior assertividade e velocidade no desenvolvimento de ações e estratégias, mais insights com a compreensão do comportamento dos consumidores, e usuários, além de poder fazer tudo isso em tempo real graças ao avanço tecnológico.

 .

E a sua empresa, já tem uma cultura analítica ou está caminhando para essa mentalidade?

Empresas que não investem em uma postura analítica estão ficando para trás.

A Info4 pode ajudar nessa transformação analítica dos seus negócios desenvolvendo soluções de Big Data Analytics através da captura, preparação e entrega dos dados tratados e enriquecidos, extraídos de fontes externas e internas, agregando inteligência e gerando insights para tomadas de decisões assertivas.

O time de inteligência da Info4 elabora relatórios de fácil compreensão, em formato Adhoc ou em Dashboards Executivos, facilitando a visualização das informações a partir de conteúdos complexos.

Participamos desde a concepção de estratégias até a execução do trabalho, com métodos e ferramentas dinâmicas que facilitam a participação de todos os colaboradores nessa transformação.

Desenvolvemos soluções customizadas para cada cliente.

Acelere a cultura analítica da sua empresa com a Info4. Podemos transformar o seu negócio.

Descubra nossas soluções de inteligência de negócios clicando aqui.

%d blogueiros gostam disto: